sábado, 19 de março de 2011

Êxtase e Revelação


"Vagarosamente voltei meu rosto para trás e fui girando meu corpo para vê-lo. Seus olhos pareciam fluorescentes. Brilhavam como o de um Lince selvagem. Sua pele parecia mais clara também. Além disso, estava ainda mais belo! Aproximou-se de mim. Eu estava hipnotizada com aqueles olhos, como num estado catatônico em que algumas vítimas de predadores famintos ficam, prestes a serem atacadas. Só não conseguia parar de acelerar as batidas do meu coração e o ritmo frenético que minha respiração fluía.

        Ele segurou meus cabelos e afastou-os lentamente do rosto, deixando os meus ombros e pescoço à sua vista. Após me puxar para si, deslizou, suavemente, sua boca por toda minha cútis permitindo que sentisse seus lábios quentes e sedosos exalarem um adocicado aroma. Estava completamente embriagada com aquilo! Era semelhante ao êxtase provocado por alguma substancia alucinógena. Foi mais forte do que eu e, sem que pudesse me dar conta, já estava beijando-o, quando senti minha língua tocarem seus caninos afiados.

        Instantaneamente me afastei e olhei melhor para poder acreditar no que via. A adrenalina estava a mil! Uma mistura de medo e curiosidade me dominou.

        - Não pode ser! O... o que é você?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário